Usina da Mídia
AGRICULTURA DE SERRA DO MEL AFINA NOVAS PARCERIAS COM O SEBRAE

A Secretaria de Agricultura do município de Serra do Mel, na pessoa da secretária Andréia Vicente, recebeu a visita de Paulo Miranda, que é gerente do escritório regional do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), em Mossoró, e do analista técnico Lecy Gadelha.

Em pauta as ações já realizadas pelo órgão no município e o levantamento de novas demandas, visando a continuidade da parceria Prefeitura Municipal e Sebrae.

“Temos importantes ações já realizadas no município de Serra do Mel, como orientações sobre alternativas econômicas, sustentáveis e socialmente viáveis que garantem benefícios aos produtores rurais do município”, ressaltou o gerente.

Já a secretária Andréia Vicente ressaltou que a orientação do prefeito Josivan Bibiano de Azevedo é encontrar e implementar ações que garantam o melhor para o homem do campo.

“Contabilizamos esse importante apoio do Sebrae, uma parceria que já garantiu a aplicação de novas tecnologias para o crescimento do bem-estar do produtor inserindo-o no processo de desenvolvimento, bem como a preservar o meio ambiente em que trabalha”, comentou a secretária.

TRATAMENTO PRECOCE É DISCUSSÃO “DELIRANTE E EXDRÚXULA” DIA INFECTOLOGISTA LUANA ARAÚJO

Em depoimento à CPI da Covid no Senado, a médica infectologista Luana Araújo fez duras críticas ao chamado “tratamento precoce”, defendido por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A suposta terapia preconiza o uso de medicamentos ineficazes para tratar a covid-19.

Luana Araújo disse que a discussão é “delirante, esdrúxula, anacrônica e contraproducente”. “Todos nós somos a favor de uma terapia precoce que exista. Quando ela não existe, ela não pode se tornar uma política de saúde pública”, afirmou a médica.

Ao ser questionada pelo relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL), se conversou com o ministro Marcelo Queiroga sobre o tratamento precoce, Luana classificou a decisão como “delirante, esdrúxula, anacrônica e contraproducente”.

“Quando eu disse que, um ano atrás, nós estávamos na vanguarda da estupidez mundial, eu, infelizmente, ainda mantenho isso em diversos aspectos, porque nós ainda estamos aqui discutindo uma coisa que não tem cabimento. É como se a gente estivesse escolhendo de qual borda da terra plana a gente vai pular”, declarou.

A medica defendeu a autonomia médica, mas alegou que essa não é uma justificativa para fazer “experimentos” nos pacientes.