Usina da Mídia
JUSTIÇA ELEITORAL CASSA MANDATOS DE PREFEITA E VICE DE SERRA DE SÃO BENTO, MUNICÍPIO DO RIO GRANDE DO NORTE
Prefeita de Serra de São Bento, Wanessa Morais(MDB) e vice-prefeito Eduardo Pereira de Melo(PT),

O juiz Rainel Batista Pereira Filho determinou a cassação dos diplomas e mandatos eletivos da prefeita de Serra de São Bento, Wanessa Morais(MDB) e do vice-prefeito Eduardo Pereira de Melo(PT), bem como declarou a inelegibilidade de ambos por oito anos a partir das eleições de 2020.

O magistrado deferiu o pedido do Ministério Público que apontou irregularidades praticadas pela chapa durante o período eleitoral.

A decisão determinou ainda que o presidente da Câmara Municipal de Serra de São Bento tome posse no Executivo.

A decisão de primeira instância ainda cabe recurso.

Fonte da informação: https://justicapotiguar.com.br/index.php/2021/10/08/justica-eleitoral-cassa-mandatos-de-prefeita-e-vice-de-serra-de-sao-bento/

 

 

 

PREFEITURA DE SERRA DO MEL REALIZA MANUTENÇÃO DE RUAS

A Prefeitura de Serra do Mel, por meio da secretaria de Infraestrutura, Saneamento e Abastecimento, vem realizando em diversos pontos da cidade o reparo em trechos da pavimentação que se encontram com falhas ou irregulares.

Este serviço é de fundamental importância, o que coopera para as boas condições das ruas, de modo a permitir a segurança dos pedestres e o correto fluxo de veículos, evitando a ocorrência de danos.

De acordo com o secretário municipal de Obras, José Iranilson, os serviços de infraestrutura da cidade seguem garantindo a seguridade das pessoas no tráfego de pedestres e veículos.

Ele ressalta que várias ruas já receberam os reparos e outras que foram analisadas também vão receber o serviço de melhorias no que diz respeito a recuperação de calçamento.

JOSÉ AGRIPINO AFIRMA QUE NOVO PARTIDO, UNIÃO BRASIL, SERÁ DE CENTRO IDEOLÓGICO
José Agripino – Ex-senador potiguar assume vice-presidência nacional do novo partido, criado a partir da fusão entre DEM e PSL

O União Brasil, novo partido político surgido com a fusão do Democratas e PSL, aprovada durante convenção conjunta nesta quarta-feira (6), promete movimentar as eleições gerais de 2022 nos âmbitos nacional e estadual ao se destacar como a maior legenda política brasileira do momento. Escolhido vice-presidente do União Brasil, o ex-senador potiguar José Agripino falou como ficará a composição e o futuro político da sigla no Rio Grande do Norte e qual será a postura ideológica adotada, já que o PSL é um partido de direita e o DEM, de centro.

“Estou em conversas permanentes com políticos do antigo PSL no RN, como o delegado Sérgio Leocádio, inclusive já estamos em entendimentos bem avançados sobre o futuro. Também tive uma conversa elegante e interessante com o deputado federal Girão Monteiro, que reafirmou sua decisão de seguir o presidente Jair Bolsonaro para o partido que este decidir se filiar futuramente e ainda com políticos do antigo PSL no Estado”, afirmou.

Agripino disse que as conversas visando entendimentos futuros têm se estendido também para políticos de outros partidos que demonstraram algum tipo de interesse em conhecer a proposta ideológica e política do União Brasil. Como exemplo, ele citou os deputados Carla Dickson (Pros) e Jacó Jácome (PSD) e o presidente da Câmara Municipal de Natal, vereador Paulinho Freire (PDT), entre outros representantes dos municípios no interior.

O vice-presidente do União Brasil, que adotará o número 44 nas urnas eletrônicas, afirmou que o espectro ideológico do partido é o Centro, sem radicalismos e extremismos como se têm visto nos últimos anos e que isso é uma resposta aos brasileiros que estão cansados da política como se tem visto ultimamente. “Uma alternativa para os eleitores brasileiros por sermos o contraponto aos já declarados candidatos à presidência, o atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ex-presidente Lula (PT)”.

Sobre as eleições gerais de 2022, Agripino explicou que não há definições porque as conversas ainda não foram concluídas e que a expectativa é que isso ocorra até o início do próximo ano, quando o partido União Brasil estiver totalmente definido no Rio Grande do Norte. “Vamos analisar detalhadamente os integrantes do partido, tanto os que ficarão quanto os que ainda chegarão e, após as definições de quem ficará conosco, definiremos quem tem potencial para concorrer a quais cargos, sempre analisando potencial de eleição de cada um”, disse.

O União Brasil, cuja diretoria eleita é composta por 17 membros, sendo oito do Democratas e nove do PSL, aguarda o aval do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o que deve acontecer nos próximos três meses, antes da abertura da janela partidária para as eleições de 2022, em fevereiro. O deputado federal Luciano Bivar foi escolhido o presidente da legenda e o ex-prefeito de Salvador, ACM Neto, é o secretário-geral.

O partido já nasceu com uma grande herança. São cinco governos estaduais, oito senadores, 82 deputados federais, 545 prefeituras e fundos eleitoral e partidário milionários, além de três possíveis pré-candidatos à Presidência – o senador Rodrigo Pacheco, o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta e o apresentador José Luiz Datena.